<$BlogRSDURL$>

segunda-feira, junho 06, 2005

Especial NETLABELS

Aqui fica um pequeno apanhado de lançamentos de Netlabels que me agradaram nos últimos tempos, daquilo que tive oportunidade de ouvir. Embora este novo mundo das Netlabels seja estimulante, nota-se que há pouca preocupação em seleccionar aquilo que realmente tem qualidade. Devido a esse facto, torna-se complicada a tarefa de percorrer muitos lançamentos completamente banais até se conseguir chegar a algo minimamente interessante.
No entanto, vale bem a pena tentar. Para ajudar, aqui fica o apontador para um artigo bem interessante da revista on-line Igloo Magazine.

BEAK : “Amoral Mayor Earwig” Ep – Monotonik, 2004


Melodias frágeis dedilhadas em guitarra acústica, envoltas em ritmos ondulantes de drum’n’bass e breakbeats, salpicadas de noise e bleeps. Excelentes 15 minutos, divididos em 5 temas, de pop melódica e bucólica a apelar para a contemplação. Para ouvir em tardes de sol primaveris, por entre perfumes de flores e chilreios.

Wordsalad : “Wordsalad” LP – Earstroke, 2005


Um belo album repleto de electrónica doentia. Ritmos lentos formam o esqueleto deste corpo frágil, envolto em estranhas melodias e ruídos abafados de estática. O low-fi domina, e os ambientes são assustadoramente orgânicos. Como se vários micro-organismos parasitassem este corpo enfermo, em constante mutação genética. Notam-se curiosas semelhanças com o trabalho do americano Horchata.

Skytree : “The Dagda” Ep – Earstroke, 2005


Trabalho com motivos medievais, bucólico, emocional, a meio caminho entre Four Tet e Boards Of Canada, com um piscar de olho ao velho e bom shoegazing. Chega a ser pop, mas sempre com muitos motivos de interesse, nas melodias viciantes, nos ritmos “partidos”, nos sintetizadores espaciais. 23 minutos de puro prazer.

Hieronymus/Xoki : “s/t” Ep – Kyoto (release 04), 2004


Split entre Hieronymus e Xoki, com dois temas para cada projecto.
Hieronymus mistura o ambient dos The Orb com o dub futurista que a editora Chain Reaction deu a conhecer ao mundo. Temas muito fumarentos, com um groove muito particular.
Xoki aproxima-se das aventuras de Vladislav Delay, mais maquinal e ligeiramente menos ambiental.

AMM : “Co.Opt” Ep – Filtro, 2005


IDM em suspensão, por entre suaves cascatas de estática e clickhouse é o que oferece AMM (Antiguo Autómata Mexicano), um artista da cidade de Monterrey. Ritmos disconexos e micro-drones, a lembrar por vezes os trabalhos do conterrâneo Murcof, mas com um ambiente mais negro, cerebral e futurista, menos emocional.

(0) comments
ENTREVISTA A JEREMY BARNES (A HAWK AND A HACKSAW)




Foi um prazer especial entrevistar Jeremy Barnes para a Mondo Bizarre, mentor do projecto A Hawk and a Hacksaw que irá tocar nos dias 10 e 11 de Junho no Porto e em Lisboa. Pela sua música vibrante e por ser o primeiro evento organizado pela Ampola (em parceria com O Mouco no Porto), blog do Nuno Proença, um amigo dos Quantum Ducks e colega de escrita na Mondo Bizarre e no Fórum Sons. Os Patos Quânticos desejam boa sorte para o Nuno nesta sua primeira aventura a organizar um concerto, e dão-lhe os parabéns pela excelente escolha feita. Agora resta esperar pelo concerto de A Hawk and a Hacksaw, que a crer pelos álbuns editados é uma aposta quase ganha à partida.

A entrevista pode ser lida aqui.

(0) comments


referer referrer referers referrers http_referer

This page is powered by Blogger. Isn't yours?